Índia superará o Brasil em produção mundial de açúcar na próxima safra

O Brasil perderá o posto de maior produção de açúcar no mundo para a Índia, no ano-safra internacional 2018/19, pela primeira vez em décadas. Tal fato indica que o mercado brasileiro está direcionado para a produção de etanol, devido aos baixos investimentos nas lavouras de cana-de-açúcar e assim, produtividades cada vez menores.

Enquanto isso, a Índia conta com esquemas de subsídios para um setor politicamente sensível, que deverá atingir uma produção recorde de açúcar de cerca de 35 milhões de toneladas na nova temporada que começa em outubro. Já o Brasil deve recuar 10 milhões de toneladas ante a temporada passada, chegando a 30 milhões de toneladas, segunda avaliação de analistas.

A mudança no ranking de maior produtor de açúcar no mundo refletirá nos fluxos comerciais da mercadoria ao redor do mundo, com as exportações brasileira perdendo espaço no cenário mundial, enquanto a Ásia ganha mais atenção no mercado internacional, por meio de estoques da commodity, especialmente na Índia. Em contrapartida, alguns especialistas afirmam que essa liderança da Índia é somente aparente, uma vez que o açúcar brasileiro possui maior oferta de sacarose e melhor qualidade de produto.

Além disso, outro contribuinte para esse novo cenário de vendas de açúcar é a alta dos preços dos combustíveis e a baixa nos valores do açúcar perto de mínimas em dez anos em Nova York. Dessa forma, a expectativa de recuperação do mercado brasileiro em exportações de açúcar é baixa, já que com a falta de incentivo à indústria e os grandes volumes em estoques, pode aparecer como exportador relevante.