Moagem da cana-de-açúcar deve ser antecipada em usinas de SP

As usinas de cana-de-açúcar podem encerrar a moagem dois meses antes do comum, afirma o JornalCana. Dez empresas do Estado de São Paulo já trabalham com a possibilidade da antecipação para o mês de outubro, devido à estiagem da cana-de-açúcar.

A matéria-prima do etanol é processada tradicionalmente até dezembro pela maioria das produtoras, mas com a seca, a operação de corte, transporte e processamento ocorrem mais facilmente e consequentemente, mais rápido. As usinas mais favorecidas com a estiagem são as que processam até 2 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, uma vez que as de maior produção ainda possuem matéria para prolongar a safra por mais tempo.

Apesar disso, mesmo as usinas de grande porte terão suas moagens alteradas devido à estiagem. Entre as empresas consultadas pelo jornal, todas demonstram antecipar o processo por pelo menos uma semana antes do comum. 

Como funciona a moagem

A moagem nada mais é que o processo pelo qual a cana-de-açúcar é submetida para extrair o caldo dela. Para isso é utilizado a máquina chamada de moenda que além do caldo, também fornece o bagaço, que possui diversas utilidades, assim como já foi dito AQUI (LINK).

A moenda é composta geralmente, por quatro a sete ternos em série compostos de cilindros ou rolos e da bagaceira, colocada entre os rolos no qual conduz o bagaço entre o primeiro e o segundo esmagamento. Com o processo avançado, resta um caldo residual fácil de ser retirado. É nesse momento que entra o processo chamado de embebição.

Ela pode ser definida como simples, composta (mais usada) e com recirculação. O processo consiste em injetar água entre os dois últimos ternos, que é enviado para fábrica de açúcar, enquanto o caldo restante dos outros ternos é encaminhado a destilaria.