Usinas do Brasil apostam no Etanol e aumentam investimentos na produção

A soma das políticas governamentais e dos preços reduzidos odo açúcar no brasil trazem um brilho nos olhos para as usinas do Brasil. De acordo com o portal Nova Cana, o investimento na produção do Etanol será maior para o próximo ano.

Após uma massiva queda na produção, tirando o Brasil do posto de primeiro lugar na produção de Cana-de-açúcar, uma “alocação” ocorrerá, aumentando assim a produção brasileira. Alocação é um termo “economês” que significa, de forma resumida, uma destinação de verbas e fatores extra-humanos.  

O aumento na produção de cana-de-açúcar entretanto não está diretamente ligado a um aumento da produção de açúcar. As usinas estão migrando para a produção do biocombustível, por ser mais vantajoso financeiramente.

Grandes empresas brasileiras contaram a Reuters, a maior agência de notícias britânica, que o foco dos investimentos para 2019 será na capacidade de produção de etanol, pensando já na próxima temporada.

Em entrevista, a Biosev, que é a segunda maior processadora de cana-de-açúcar, disse que instalou colunas de destilação em algumas usinas do MS, possibilitando assim que elas utilizem até 90% da cana-de-açúcar para produção de etanol. Antes dessa ação, o uso era de cerca de 40%.

A política nacional como incentivo à produção de etanol

No último ano de mandato do presidente interino do Brasil, Michel Temer (MDB), conseguiu aprovação do RenovaBio, obrigando distribuidores de combustível a aumentar a quantidade de biocombustível vendida a partir de 2020.

O objetivo do projeto é aumentar a demanda. A expectativa é que em 2028 totalize 47,1 bilhões de litros de biocombustível, fazendo com que a indústria e etanol se recupere da competição com os preços da gasolina.